quarta-feira, novembro 14, 2007

Saudades da Guavira...

.
.
.Flor da guavira, planta da família das mirtáceas
Foto: © Daniel De Granville, 2003


Um aspecto especial da nossa flora é a diversidade e abundância de frutos comestíveis, que de forma semelhante aos sotaques podem ser características marcantes de determinadas regiões. Assim é com a uma saborosa frutinha nativa do centro-oeste da qual já falei em outras ocasiões: a guavira, parente das conhecidas goiabas, pitangas e jabuticabas. Não faltam provas de como esta planta é importante na cultura de Mato Grosso do Sul: devidamente homenageada pela violeira Helena Meirelles em seu CD “Flor da Guavira”, agora aproxima-se o Festival da Guavira, tradicional evento de resgate cultural realizado anualmente em Bonito e que celebra uma das plantas mais conhecidas da região.


A violeira Helena Meirelles (1924-2005)
Foto: © Daniel De Granville, 2000


Porém, segundo a Lista da Flora Ameaçada de Extinção com ocorrência no Brasil, da União Mundial para a Conservação da Natureza (IUCN), algumas espécies de guavira podem desaparecer se não forem adotadas medidas urgentes de manejo. É importante ressaltar que a utilização desta planta nos moldes tradicionais não pode ser considerada como atividade sustentável. Afinal, os frutos são colhidos em grandes quantidades e não há preocupação em replantar as sementes, além do volume consumido pelo gado e da limpeza de campos (ambiente preferencial da guavira) para implantação de pastagens não-nativas. Conseqüentemente, há risco de que em médio prazo os estoques naturais deste fruto se esgotem, caso não sejam desenvolvidos trabalhos de conscientização e replantio de mudas.

Fica a sugestão de que o tema seja mais debatido em eventos como este, garantindo que a guavira propicie motivos para futuros festivais e muita inspiração a artistas como nossa falecida violeira.


Guaviras frescas e prontas para serem devoradas!
Foto: © Daniel De Granville, 2004

.
.
.

22 comentários:

  1. Tietta16:48

    Saborosa frutinha... deliciosa, isso sim!!! Uma das mais doces que já tive o prazer de experimentar!!! Riqueza do cerrado que infelizmente está perdendo espaço para agropecuária, já que para o governo os campos e cerrados nunca contam na hora de se pensar em Reservas Legais nas fazendas do Centro-Oeste.
    Parabéns pela saborosa lembrança!!

    ResponderExcluir
  2. Isabel15:18

    Além de saborosa a fruta, as cascas e folhas apresentam propriedades medicinais interessantes. As folhas de guavira (Campomanesia adamantium) são ricas em compostos fenólicos, os quais possuem atividade biológica e antioxidante. É uma pena, que os arbustos de guavira estão sendo devastados na região de Bela Vista, Jardim e Bonito, etc pela agropecuária, e na região de Dourados pela agricultura. É necessário com urgência um manejo sustentável desta planta. Já que inúmeras contribuições culturais e econômicas pode ser ofericido pela guavira.

    ResponderExcluir
  3. Ainda não tive o prazer de conhecer a guavira... Será que os pecuaristas e sojicultores vão deixar pelo menos uma em pé, para quando eu conseguir visitar o MS?

    ResponderExcluir
  4. Debora02:14

    Oi Daniel!
    Cheguei meio atrasada neste post...
    Frutinha interessante! Pela pesquisa que eu fiz e' o mesmo que gabiroba! Nunca comi, mas MMM, parecem deliciosas! E a flor e' linda. Tomara mesmo que seja preservada.
    Beijos
    Debora.

    ResponderExcluir
  5. Karai Mbarete01:20

    Fruta sagrada dos guarani e kaiowa, criada por Koarary para levar os jaguarete-avã ate o grande rio onde seriam destruidos por afogamento , fazendo nascer toda a ictiofauna hoje conhecida.
    Karai Mbarete

    ResponderExcluir
  6. Marcus Antonio Karaí Mbaretê Ruiz22:21

    Guavirá Potí


    Quando entrar novembro
    Encilharei meu pantaneiro tobiano
    E junto com minha amada
    Iremos faceiros catar guaviras.
    Sentir os sabores perdidos da infância
    Quando levantávamos antes do sol
    Com matula de charque pilado já pronta
    Cambuchís, corotes com água fria
    Latas de querosene, cestos, baldes , bacias.
    A gurizada, os primos, vizinhos, amigos
    Em uma enorme e colorida romaria
    Saindo dos bairros, vilas, da periferia
    Deixando quase vazias as cidades
    Ricos, pobres, índios, brancos, soldados
    Gente de todo naipe e idade
    Rumo as invernadas,
    Por boiadeiras estradas...
    A pé, á cavalo, de charrete, camionete
    Carro de boi, caminhão , lombo de burro, bicicleta
    Vai marchando a procissão humana, sem igual
    Espalhando-se pelos campos, potreiros,
    Em busca de um guaviral...

    Da planta parideira de mel,
    Prima famosa do araçá,
    Da jaboticaba, pitanga, goiaba
    Com suas moitas repletas de frutas
    Verde-amarelo-azuladas
    Doçura em infrutescência encapsulada.
    Prenhada pelas mamangavas
    Por cuícas e guaíquicas semeada
    Alimento de veado, lobo, raposa, boreví
    Gado alçado, cabrito, mão pelada, nhandú
    Periquito, morcego, angujá, rato do mato, tatu ...
    E atrás deles a jibóia , a jararaca e mboí chini.

    Fruta sagrado dos guarani , mbayá e kaiowá
    Que buscam em seus arbustos, suas folhagens
    O casulo da borboleta branca, “panambí”
    Para enfeitar seu instrumento de reza,o maracá .
    Planta criada pelos filhos de Riú Riapú Guaçu
    O Grande Pai Celestial
    Para vingarem-se do tormento
    De terem os jaguaretè –avá servido como alimento
    Rachã Ruçú , a Grande Mãe,
    Dos infantes guarani, Jacy e koararí.
    Pelo povo-onça abatida, carneada, comida
    As duas crianças então fizeram a guavira
    E para os guavirais levaram os homens-onças
    Fazendo passar por uma longa pinguela
    Sobre um rio enorme, imenso
    E deram-lhes a morte por afogamento
    Para reparar tamanho sofrimento.
    Dando assim início a era do Avá-etê
    O Homem Puro, Verdadeiro, sem mácula
    Em substituição aos homens-jaguaretê
    Ficando apenas o último jaguaretê–avá da fila
    Que pulando para trás se salvou da vingança
    Sendo hoje o antepassado de todas as onças.

    Guavira, planta dos amantes e dos apaixonados
    Que chamam a amada de “ Flor de Guavira “
    A menina nova de “ Guavira em Flor “
    Se for na fronteira é “Guavirá Potí”
    Que é flor de guavira em guarani

    Guavira remédio para muitos males
    Há muito conhecida e mui usada
    Por parteiras e benzedeiras
    Por seu poder curativo, adstringente
    Com o chá de suas folhas
    Cura a dor de barriga de toda gente...
    E se busca um revigorante
    Para um corpo cansado da lida
    Para expulsar a fraqueza
    O desânimo que o corpo abate
    Basta colocar uns ramos da planta
    Misturado á erva cancheada
    Na hora de se tomar o mate...

    Nas casas grã-finas ela é licor
    Servido em pequenos cálices de cristal
    Nos ranchos humildes sua casca dá sabor
    À canha , à pinga,à cachaça, a aguardente.
    È o uísque escocês da pantaneira gente.
    E na cidade com suas delícias
    Graças ao conforto da eletricidade
    O fruto sagrado transforma-se em picolé e sorvete
    Tem até quem faça mouse com chocolate!!!



    Guavira, guaviroba, guavirova, guabirá
    Não importa o nome que se dá
    Na fronteira virou verbo mui usado
    Se a alcunha de paraguaio é mandioqueiro
    De sul mato-grossense é guavireiro
    E quem anda pelos matos, campos,
    Estradas de fazenda, namorando,
    Dizem que está é guavirando...

    Infalível para marcar a gestação
    Das crianças docemente concebidas
    Em meio as dulcíssimas frutas
    No afã de um abraço, um beijo, uma mordida
    Os corpos se enleiam como cobras
    Impossível resistir á atração.
    Os guavirais estimulam os “ demônios”
    Os “demônios” estimulam os hormônios
    Os hormônios estimulam casamentos
    Para a aflição de pais e mães ciumentos.
    E daí a nove meses...
    há uma farta parição
    Nos meses de julho e agosto
    Dos “ filhos da guavira”
    Mantendo sempre viva a tradição
    De que chupar guavira junto
    Reforça a amizade, cria cumplicidade
    e une o coração.

    Da grande família das mirtáceas
    Que habitam o Brasil Central
    È a que tem do povo a devoção
    E se não fosse Mato Grosso do Sul
    Conhecido como o Estado do Pantanal
    Com certeza eu diria
    Que um novo nome apropriado seria
    O “Estado do Guaviral “.



    Marcus Antônio Karaí Mbaretê Ruiz





    Pilado = socado em pilão, fragmentado, charque usado em paçoca.

    Cambuchís = pote de barro com alça, bilha , para carregar água.

    Corotes = utensílio de madeira para e carregar água, pequena pipa.

    Avá-etê = avá = homem, humano , etê = verdadeiro , Homens Verdadeiros, uma das auto denominações dos Guarani e Kaiowá.

    Jaguaretê–avá = Jaguar, onça , avá = homens , os homen-onça que habitavam a Terra antes da vinda dos enviados dos Grande Pai Celestial, os infantes Jacy ( Lua) e Koarary (Sol).

    Panambí = borboleta em guaraní.

    Mboreví, boreví = anta, tapir

    Nhandú = ema.

    Mboi chiní = cobra cascavel .


    Cancheada = socada, quebrada, erva mate seca e fragmentada.

    ResponderExcluir
  7. Hola, soy Argentina. me han regalado una planta de Guavirá de Iguazú. Quisiera saber cuanto crece. Es árbol grande o arbusto pequeño? No encuentro información por internet.
    Gracias.

    ResponderExcluir
  8. Olá GabiZ, bem-vinda ao blog! A guavira que temos aqui é uma planta arbustiva, existem várias espécies (todas do gênero botânico Campomanesia). Aqui na região de Bonito já vi arbustos de 40 cm até quase 2 metros, mas geralmente não passa de 1,5 metros. Abraços e sucesso com seu blog também!

    ResponderExcluir
  9. Caro Daniel. Sou fronteiriço, nascido em uma fazenda próxima a Amambai. Na minha infância, só para rimar, havia guavira em abundância. Há mais de dez anos que me preocupo com a preservação da nossa guavira, frutinha de sabor ímpar. Cheguei a sugerir que a UFMS empreendesse pesquisa no sentido de promover a reprodução e produção da guavira, bem como, promover estudos para se conhecer todo o potencial da guavira, e, por que não, explorá-la em escala industrial e comercial. Hoje, a UFGD está fazendo essa pesquisa, e, tenho a convicção que a guavira ainda será fonte de renda para muita gente. Quando comprei minha casa aqui em Campo Grande, a primeira providência foi plantar vários pés de guavira, que há dois anos já tem uma tímida produção, creio que seja pela pouca luminosidade, já que fica muito próximo ao muro. Tenho de duas espécies: a alta de frutas muídas e a rasteira, com bagas enormes. Brevemente, postarei algumas fotos das guaviras. Uma beleza. Olha, conheço na casa da minha tia, no Bairro Ouro Verde, um pé de guavira que impressiona pela altura do arbusto, bem como pela generosa produção. Vou até medir a altura daquela planta, e, oportunamente, postarei as informações. Bonito que aguarde no próximo festival. Abraço fraterno. Alziro L. Amaral

    ResponderExcluir
  10. Daniel, desejo mais informações sobre a guavira. Será que você terá informações suficientes para entrar em contato comigo?

    ResponderExcluir
  11. Olá José, tudo bem? Grato pela visita. Tem uma pesquisadora aqui de Mato Grosso do Sul que fez uma dissertação acadêmica sobre as propriedades farmacológicas da guavira, o que exatamente você procura de informações? Abraços!

    ResponderExcluir
  12. Oi Alziro, tudo bem? No meu quintal tem dois pés que estão carregados de frutos! Acho que dentro de algumas semanas será novamente vez de saborear as guaviras, mas desta vez não precisarei andar mais do que alguns metros para ter este prazer. Me sinto um privilegiado! Aguardo mais informações e fotos sobre a tua plantação! Abraços.

    ResponderExcluir
  13. Daniel, minha mulher é filha da terra. Mais precisamente de Bela Vista. E no tempo de "guria", já comeu muita guavira. No início de novembro estaremos por aí... e gostaríamos de uma indicação de onde encontrar a guavira ( no pé ) para matar a saudade...

    ResponderExcluir
  14. Oi novamente, José! Vamos lá: ao longo de algumas estradas de Bonito, não muito afastadas da cidade, existem bons locais para colher guaviras. Um lugar muito bom e procurado pelo pessoal daqui é a estrada que vai para o Aquário Natural. Saindo do asfalto e pegando a estrada de terra, um pouco à frente vai ter uma subida acentuada que termina no topo onde se tem uma bela visão da Serra. Ao longo de toda esta subida tem vários pés de guavira, principamente no alto dela. Outro bom lugar é ao longo da estrada de terra que vai para o Rio da Prata (pegando a via de acesso ao aeroporto). Tem que ir devagar e procurando bem, afinal isto é um dos lados divertidos de procurar as frutinhas! Só fique atento pois alguns destes lugares são áreas particulares, talvez seja interessante pedir permissão aos proprietários. E lembre-se, procure sempre auxiliar a reprodução da guavira para que sempre tenhamos muitos frutos disponíveis para nós e para a fauna nativa. Abraços!

    ResponderExcluir
  15. Daniel, obrigado pelas dicas. Creio que pelo trabalho que você desenvolve, devemos encontrá-lo com facilidade em Bonito. Quando estiver por aí, vou procura-lo. Por falar no Rio da Prata... minha filha já esteve lá. MA-RA-VI-LHO-SO... Desta vez quero ir lá...

    ResponderExcluir
  16. Anônimo20:52

    Ola Daniel, sou de Presidente Prudente, interior de SP, hoje fui com um amigo, procurar guavira(gabiroba por aqui), na area rural de uma cidade vizinha, ate encontramos alguns pes sem frutos, mas ele se surpreendeu quando viu uma enorme plantaçao de cana, onde antes havia muitos pes de gabiroba, uma pena!, saberia me dizer como obter um pe dessa fruta, se e atraves de hortos ou tem que recolher muda no campo!!! Desde ja obrigado. Wilson

    ResponderExcluir
  17. Que quiser de verdade conhecer o guavirá,é so ir no paraguay no mêz de novembro ,tem guavirá que nao acaba mais, o povo paraguaio os teem como temos aqui em Rio preto no estado de Sao Paulo as mangas.a planta em terra boa ,tem a altura de 4 a 5 metros ,em Coronel martinez a 120 kilometros de asuncion , o guavirá nos serve de sombra pra tomar o terere .grande abraço a todos.edgar jose

    ResponderExcluir
  18. Anônimo15:27

    Essa fruta me traz muitas doces lembrancas da minha infancia no MS. Havia muito desses arbustos na chacara da minha avo e de meus pais onde nasci. Hoje em dia, essas propriedades estao sendo loteadas p/ habitacoes populares. Infelizmente, enquanto houver essa explosao demografica e ganancia do agronegocios s/ consciencia e respeito as especies nativas, tudo vira a extincao. Que lastima!

    ResponderExcluir
  19. Edson Borges - borgeslim@yahoo.com.br08:58

    Tenho 2 pes de guavira plantados em minha chacara em Cacoal-RO, trouxe as mudinhas de Campo Grange-MS, tentei comprar mudas em Bonito-MS durante uma viagem de ferias, mas nao quiseram vender, me pediram varios papeis. Uma burocracia danada para conseguir as mudas, desde ir a embrapa, policia ambiental, nem sei em quantos lugares tinha que ir pergar a tal autorizacao. Nao sei como querem aplicar a demagogia do reflorestamento. Por fim, ano passado os pezinhos de guavira frutificaram e as frutinhas sao mesmo maravilhosas, ja estou ansioso para as que virao este ano.

    ResponderExcluir
  20. Ola... faz um tempo que fui em lua de mel para o mato grosso do sul.E tive o prazer de esperimentar o suco de guavira...é maravilhoso
    gostaria de saber como encontrar essa fruta,o unico problema é q morro em santa catarina.aguardo resposta... obrigada Leticia Porto.Pomerode SC

    ResponderExcluir
  21. Olá Leticia Porto, obrigado pela visita. A guavira amadurece geralmente em novembro, quando as pessoas colhem montes de frutas e algumas armazenam na forma de polpa. Não acredito que exista para vender no mercado, uma opção são sorveterias especializadas em sabores regionais, como a rede Delícias do Cerrado. Ou então você poderia adquirir umas mudas de guavira na sua próxima vinda à região.

    ResponderExcluir
  22. Vicente Londrina21:48

    Olá. Sou de Londrina. Comprei uma muda como sendo de GUAVIRA, de um pessoal que vende mudas que vem de Assis SP. Dizem que só produz em novembro/desembro, más a minha está toda cheia de frutinha. Vou esperar ela crescer pra ver se é mesmo, pois, tem uma pessoa aqui que conhece. Depois vou postar informação sobre essa minha muda.

    ResponderExcluir